Siga o Portal do Holanda

Drauzio Varella, ‘Suzy’ e o capitão Bolsonaro

Publicado

em

Resumo da Coluna

  • Varella fez o que qualquer pessoa de bem faria. Não procurou culpa numa pessoa que está pagando o preço do seu crime. No lado oposto, Bolsonaro ‘juntou pedras’ para armar as suas milícias. Varella ensina como se comportar nas redes sociais. Bolsonaro dá exemplo do pior comportamento…

O médico Drauzio Varella é voluntário do sistema penitenciário em SP, onde atua levando boas ações aos apenados. Jair Bolsonaro é o presidente do Brasil e também voluntário, nas milícias virtuais, onde atua fomentando o preconceito, o ódio e a violência gratuita e perniciosa.

São pessoas com visibilidade e milhares de seguidores nas mídias e redes sociais, que desde a semana passada são protagonistas no cenário de caos que domina o mundo virtual no país.

Em reportagem do Fantástico, da Globo, no presídio de Guarulhos, o médico abraçou a detenta trans Suzy Oliveira, que não recebia visitas há 8 anos. E emocionou parte do país.

Varella faz o que qualquer pessoa de bem faria. Não procurou culpa numa pessoa que está pagando o preço do seu crime. Viu ali a solidão de um ser humano sofrido pagando seu erro.

Não procurou uma pedra para ser o primeiro a atirá-la na pecadora. Ao contrário, mobilizou uma corrente de solidariedade em todo o país para ajudá-la a suportar seu duro castigo.

No lado oposto, porém, o presidente ‘juntou pedras’ para armar as suas milícias. E enalteceu a liberdade da internet que permite julgar e condenar, sem olhar para os próprios pecados.

Varella ensina como se comportar humanamente nas redes sociais. Bolsonaro dá exemplo do pior tipo de comportamento, atropelando as normas de conduta que deveria respeitar.


+ BASTIDORES DA POLÍTICA

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.