Siga o Portal do Holanda

Famosos & TV

Junior Lima revela que já teve síndrome do pânico: ‘Não consegui absorver as coisas’

Publicado

em

Foto: Reprodução Instagram

Filho de um dos sertanejos mais conhecidos do Brasil e com uma carreira de três décadas, Junior Lima enfrentou todas as tentações que uma criança nessas condições teria: muita notoriedade e dinheiro. 

Lidar com tantos mimos pode fazer com que o indivíduo perca a cabeça. Para evitar isso, Junior contava com a presença da mãe.

Ao menor sinal de ‘paparico’ da equipe de produção, o músico era alertado: “Minha mãe controlava (os mimos). Às vezes, as pessoas ficavam me paparicando e tal. Aí, quando a gente ficava sozinho ela dizia: ‘Você sabe, né... as pessoas se empolgam, querem te agradar. Você sabe que não é tudo isso, né? Não acredite em tudo o que te falam’. Isso por um lado me deixou inseguro. Mas aí eu fui trabalhar isso na terapia, entender e resolver”, afirmou durante entrevista para Sabrina Sato no canal dela no YouTube.

Aos 35 anos de idade, Junior Lima conta que começou a fazer psicoterapia aos 21. A apresentadora perguntou se a visibilidade do músico não mexeu com o lado emocional dele. "Nunca é mil maravilhas. Tive minha fase meio ‘deprê’. Tive pânico. Tive um monte de coisa”, conta.

Junior revelou que chegou a ter síndrome do pânico. “Faz uns sete, oito anos. Foi um tempo depois que separou (a dupla Sandy e Junior). Na época era tudo tão intenso e grandioso que eu não consegui absorver as coisas. Meio que me anestesiava e não conseguia sentir as coisas”, lembra.

Para ele, o fim da dupla com Sandy foi importante para que cada um seguisse seu caminho: “Fez muito bem pra gente. A gente pôde desenvolver outras coisas, aprender outras coisas, absorver outros universos. Puxa, eu tive uma banda de rock, de soul, de música eletrônica!”, enumera.

Junior Lima é casado com Monica Benini há quase cinco anos, com quem tem o pequeno Otto. O músico garante que sempre separa um espaço na agenda para acompanhar de perto o crescimento do filho.

“Meu pai sempre falou que ele não tinha muito lance de falar eu te amo com o pai dele. E ele foi dar um abraço e falar isso para o pai dele no caixão. Sempre fiquei com isso na cabeça. Meu pai sempre fez questão de dar carinho. Então, sou muito presente para meu filho. Isso é uma coisa que veio de casa. Eu organizo minha agenda para estar presente com meu filho”, conclui.

Maioria dos eleitores desaprova governo Wilson Lima, aponta pesquisa Action

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.


Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.